Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Futuros novos velhos tempos

Ainda sou o mesmo de sempre.
Aquele menino cujo nome é diferente.
Aquele que sempre está distante mesmo estando perto...
Ainda sou o que procura erros na Utopia.

Serei jovem quando estiver idoso.
Sou o que tenta rimar as coisas...
Se elas rimam, elas têm uma espécie de conexão.
Sendo assim, têm algo parecido.

Eu sou assim, por enquanto não rimo.
Estive pensando... Aliás,
Eu sempre penso... Que coisa.

Mais dessa vez pensei em rimar.
E em rimar me veio o verbo amar.
E com o verbo amar, Omar.





O.N.Á.B.

Your time is going to come

Volte. Eu imploro que volte. Por favor…
Ela não é a mais bela, pois, do que vale a beleza,
Se debaixo da terra seca, não fará diferença à natureza?
E se todos pensassem desse modo? Que pavor...

Dizem que não vale a pena,
Quando a alma lhe for pequena...
Discordo, pois se lhe oferece amor,
Ela rapidamente se torna gigantesca;

Crescendo cada vez mais pelo temor
De estar novamente só. Não seja grotesca.
Por que para o amor, não existe fronteira...

Apenas acredite quando digo que não há.
Com ela, desmontaria e a montaria inteira!
Corra até mim, e depois pegue a pá.


O.N.Á.B.

Cara e Coroa

Chega por hoje. Pare de se culpar.
Ouça uma boa música vá se divertir...
Saia um pouco para namorar;
Aproveite e não se esqueça de sorrir!

Mesmo não tendo boas razões,
Dê risadas de você mesma e sorria!
Hoje o sol nasceu! É um outro dia.
Deixe o amanhã para amanhã...

Eu sei que não depende apenas de você...
E você não merece ser esquecida. Por quê?
Ah, toda mulher é diferente, especial...

Apesar de seus defeitos, há o lado bom.
Está ouvindo este som?
Alguém te espera! Cruze logo este portal.


O.N.Á.B.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Rain’s Day

Para que vale um beijo?
Pode ser tanto amor quanto traição.
Quanto mais desejo,
Mais fico preso em trevas e escuridão...

Dormir com outra na cama,
É o mesmo que dormir sozinho...
Dormir com quem se ama,
É gostoso, é amor, é carinho...

Ver a chuva cair não tem comparação.
Ver a noite cair é como saber voar.
Ver você cair me parte o coração.

Conto as pessoas de par em par.
A cada gota de chuva que cai no chão,
É um novo amor que eu deixei escapar...




O.N.Á.B.

Nostalgia

Sabe quando acordamos antes do sol nascer,
Para poder-nos ter um momento de quietude?
Percebemos que escolhemos outro caminho, e nesta virtude,
Percebo que talvez não seja preciso viver para saber.

E na hora que o primeiro raio matinal,
Faz um carinho em você? É como ter o amor
Como bateria. Não é diário, semanal, nem anual.
É desde o sol nascer até se pôr.

E nesse momento quase indescritível,
Vejo que sou quase invisível,
Otário e sem graça. Apenas com um lápis e papel.

Percebo que ter-te meu doce mel,
É uma tarefa quase impossível.
Nosso romance seria um pedaço de céu...


De que importa meu pundonor?
Para que me vale ser pensador,
Se de tanto pensar no amor
Eu só ganho torpor?



O.N.Á.B.