Pesquisar este blog

sábado, 29 de junho de 2013

"... e foram tristes para sempre."


Não adianta esconder de nós aquilo que somos.
Não adianta fingir ser aquilo que não se é de verdade.
Não adianta lamentar nem querer mudar o que já fomos.
Não adianta tentar mudar o rumo do vento e sua velocidade.

Nossas vidas não como as estórias que nossos pais contavam;
Onde tudo sempre começava com o “Era uma vez...”
E sempre terminava com “... e foram felizes para sempre.”
Finais felizes não passam de sementes que plantavam

Em nós, crianças, para que aliviassem toda dor que existe.
Para que pudéssemos crescer com o mínimo de esperança.
Com intenção de nos proteger, mas nos colocam numa realidade triste,

Coberta de ilusões. E a privação da verdade aumenta a lança,
Que quando damos conta, já está em nosso peito nu, pelo chão.

Finais não são felizes, são apenas menos tristes, quando o são.