Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Como neve


E os dias cada vez mais se parecem iguais, como chuva.
E meus olhos ainda sofrem de fome pelo seu lindo rosto.
E meus braços sentem falta de alguma coisa na hora de dormir.
E meu nariz ainda procura seu cheiro por todos os cantos da casa.

E minhas mãos procuravam suas maçãs para acariciá-las.
E meus pés encontravam os seus, aquecendo, carinhosamente.
E meus dedos penteavam seu cabelo ora num lindo despenteado.
E minha boca percorria todo o seu maravilhoso corpo de porcelana.

E meu sorriso sente falta de algum motivo para aparecer.
E meu short de dormir ficava tão bem em você.
E minhas pernas já não podem mais te prender.

Agora, tudo o que resta é saudade de tudo.
Os cômodos ficam vazios, cheios de poeira,
Feito eu, relembrando disso a noite inteira.