Pesquisar este blog

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Amor por amar ou amar por amor?


Você quem lê isto. Tenho uma pergunta para lhe fazer.
Alguma vez em todos esses anos, amaste alguém?
Se disser que não, é porque você é daquelas que querem ter,
Ou desejam apenas um amor, um de verdade e mais ninguém.

Agora se me disser que sim, as coisas já são um pouco diferente.
Ou você está amando alguém, ou pensa que está amando a pessoa...
Qual é o sentido de amar? Dizer um ‘eu te amo’? Pessoas mentem...
E são como mentiras como essas, que os inocentes caem na jaula da leoa.

Ou então, você é daquela que já teve vários amores, e não teve nenhum.
Aquele aventureiro que busca adrenalina, cheio de energia e disposição...
Pena dele que nem desconfia que sua aventura traga, em pedaços, o coração.
Se não é aventureiro, é o pesquisador. Buscando partes de todos em algum

Alguém, para conjurar um amor que não existe... Um amor de mentira.
Para aqueles que amam, eu tenho uma má e uma boa notícia nestes versos.
Quem ama, ama o jeito como a pessoa que a ama mente de modo perverso.
A mentira talvez seja a mãe do amor. Diga-me um amor que não haja mentiras...

Por mais sutis, tem algo em comum com as não sutis. Ambas têm a mesma origem.
Torno a perguntar-lhe outra coisa. Já se perguntou qual o sentido de amar?
Seria o calor intenso no corpo? O acelerar do coração? Ou a raiva do virgem?
O que é amar? Talvez seja enganar a si mesmo e a outra pessoa, para aproveitar.

Afinal de contas, quem é que acredita, nesse mundo, em amor verdadeiro?
Condenar o amor seria errado? Talvez. Conheces alguém que sabe o que é amor?
Converse com esse alguém. Eu sei as palavras que ele dirá pra você, como a dor
Penetra na pele daquele que ama de verdade, queimando tudo que há de inteiro...

Quem ama duvida. Quem ama sente raiva. Quem ama não mente. Quem ama...
Sente ciúmes. Quem ama só deseja uma pessoa, daria tudo para preservar o amor...
Quem ama destrói o que pode destruir seu amor. Quem ama não faz drama.
Aquele que ama, faz loucuras. Se não há caminhos, ele os cria com rigor...

Quem ama sente frio para dar calor pro seu amor. Quem ama irá sofrer.
A pessoa que ama percebe quando seu amor está fraco e precisa de alimento...
Quem ama, apesar de tudo, consegue ser feliz de verdade, sem esquecer
Que independente de tudo e todos, só importa o que está do lado de dentro

Do peito, da alma, dos pensamentos, da carne, que é o amor que se sente.
Quem ama vive a vida, não se ilude com ‘sonhos-pesadelos’ que terão um fim...
Se algum dia o amor tiver um fim, não será um fim absoluto, por mais que tente
Se matar o amor, se este for amor, não morrerá. O amor nunca morre no jardim,

Ele é imortal, mas tem fraquezas, precisa ser regado constantemente.
O amor nos tira sangue, nos rouba lágrimas, nos deixa sem rumo, sem lugar.
Cabe a quem ama dominar o que sente, e o segredo é dominar a mente.
Ninguém programa ou planeja ter um amor. Ele chega sem avisar...



Quem ama alguém, não arrisca o que se tem de maior valor.
Volto agora à pergunta que lhe fiz no começo deste poema.
“Alguma vez em todos estes anos, amaste alguém?”
Cuidado com o que deseja... Nem todos estão prontos para o amor.

Afinal, você é daqueles que ama por amar, ou que ama por amor?







Soneto da dor pior

Alguém por acaso sabe qual é a maior e a pior dor?
Posso te dar duas opções: a dor física e emocional.
E então? O que me diz? [...] Ambas possuem a mesma cor,
Ambas, se não tratadas, às vezes pode ser letal...

Mas afinal, qual delas consegue trazer o pior sofrimento?
Será a física, a qual algumas drogas podem dar um jeito?
Será a emocional, a qual nos encarcera de surpresa no tormento?
Qual delas... Qual delas é capaz de parar o que pulsa no peito?

Qual delas se assemelha a um poço onde nada habita senão a agonia?
Qual seria capaz de enlouquecer-te até fazer com que se afogue em pranto?
Qual consegue trazer a mais tenebrosa dor para dentro da alma fria?

Seria possível esconder-se de alguma delas, evitar que nos domine tanto?
Seria possível matar o que nos mata? Seria? Traria paz esperar pela lufada?
A cada pergunta surgem mais. A cada dúvida a esperança se perde na madrugada...