Pesquisar este blog

domingo, 22 de maio de 2011

Partes de um todo, todo em partes


E o frio não abandona os dias que se seguem...
Em vagos momentos teu hálito invade o ar,
E nestes o peito infla até não agüentar mais,
Os olhos não se desviam, e o coração acelera.

A lufada traz consigo calafrios, eriçando os pelos
Tirando tudo do lugar, tornando hipnotizado
Àquele que assiste ao ilustre mover dos teus cabelos,
Escondendo o doce rubor coberto de ternura em tuas maças...

Quando invocada, tua voz é um coro de sereias assassinas,
Tornando-se impossível negar o veludo aos meus ouvidos,
O perfume exalante para minhas narinas, olhos famintos;

E tuas unhas encontram minhas costas, tuas mãos meu cabelo,
Teu corpo junto ao meu, trocando calor, esquecendo o frio;
Delirando, sem saber ser ilusão, sonho, perdição, ou castigo.