Pesquisar este blog

domingo, 21 de março de 2010

Entre versos

A noite faz frio, e a agonia encontra o lugar certo.
Sobriamente sinto-a roer cada pedaço de mim,
Efeito perturbador de não tê-la aqui por perto...
Desnorteado, deito sobre a grama úmida do jardim

E a noite me castiga com as gotas de chuva cortantes.
Deprimindo-me, fazendo com que volte para dentro,
Ostentando a dor nas costas, respirando o ar sufocante,
Sento-me sobre a cama e deito-me sobre o seu centro.

Entre tanto espaço sinto-me alguém tão pequeno,
Um alguém que passa despercebido pela multidão,
Alguém que quando a vê, revela um sorriso ameno...

Cor do texto
Menino um dia foi, sentimento que ainda é.... Paixão.
O que diariamente se eternizará após o sol se por...
Retrato nato do que é poder saber o que é amor.


-Namur...