Pesquisar este blog

sábado, 28 de março de 2009

Perfeitos laços

Luto contra todos e contra tudo.
A cada dia tento criar uma cura.
Não suporto ver-te e permanecer mudo. ( em pesadelos )
Provar-te-ei não ser esta horrenda criatura.

Luto contra todos e contra tudo.
Apenas para entre ilusões encontrar-te.
Guerreio com minha lança e escudo.
Buscarei em toda e qualquer parte.

Ainda luto e continuarei lutando.
Você é a razão pela qual estou respirando.
Odeio pensar na possibilidade de perder.

Essa ‘coisa’ fúnebre destrói nossos doces laços.
Não penso em qualquer instante te esquecer.
Onde estará você se não em meus braços?



- Omar Namur

quinta-feira, 26 de março de 2009

Nada sou sem você


Raios solares iluminam o grande dia.
Paixões intensas inspiram e refletem poesia.
O luar ilumina a noite fria.
O amor ilumina a alma sombria.

E a única coisa que me ilumina é você.
A única coisa que me fascina é você.
Você é a única menina que amo tanto.
Você é a única por quem eu canto.

Sem você minha noite vira dia.
Sem você meu verão é inverno.
Sem você minha vida é um inferno...


Você é o meu amor que dormia.
São todos os desejos unidos em apenas um.
Nada sou sem você. Sem você não há nehnum.


Omar Namur.

Olhares recíprocos

Com o passar dos dias trocamos olhares.
Seu olhar tímido penetra em meus pensamentos...
Encontramos-nos em tão poucos lugares,
Que aproveito o máximo todos os momentos.

Involuntariamente você me fita.
Seu sorriso restrito me excita,
Enlouquece-me. Eu desvio meu olhar,
Restrito, apenas em você, meu verbo amar.

Não sou o dotado da perfeita beleza,
Embora não seja o completo carrasco.
Quero a ti minha fiel princesa,

Somente a ti. Saia do teu casco,
Venha até mim. Guiarei seu caminho,
E prometo que não lhe faltará carinho.


O.N.Á.B.

domingo, 22 de março de 2009

Pequena grande distância

Queria entender o porquê de seu orvalho.
Entender por que perto de mim é neve.
O porquê de todo o meu trabalho,
Se o serviço que devo fazer é leve.

Tudo o que sempre quis nunca esteve tão perto.
Mas a insegurança entra em cena e rouba meu papel.
Busquei no inferno, vasculhei todo o sublime céu.
Nada encontrei. Está tão perto que eu não sei o certo.

Ele é como uma fusão nuclear.
Como injetar heroína na veia.
Ter a toda noite a lua cheia.

Ele é que nos faz respirar.
A vida ele dá sabor.
O nome dele é amor.


Omar Namur

Oeste Sul Leste Norte

Quando caminho por ela,
Ouço passos, vozes, gritos.
Vejo no céu a triste bela.
Aquela que sempre fito.

Caminho pela noite escura,
Procurando o norte...
O vento no pinheiro chama a morte.
E então não se acha o que procura.

Busco então o sul.
Como estou, porém, com sorte,
O céu não é mais azul.

Permaneço no ponto de partida,
Sem achar o que procurava, saída.
Sem achar o seu caminho, o norte.



O.N.Á.B.