Pesquisar este blog

domingo, 11 de janeiro de 2009

Insônia


I

Estou na cama há horas, sem sono.
Andei pela casa e vi a luz da lua cheia.
Pensei na vida, em mim. Nela, outro engano.
Tanto faz se durmo ou não. Sem minha meia,

Eu não descanso. Meu travesseiro,
Já se tornou grande de mais para um.
A noite é uma dama chamando ao guerreiro.
Seu luar é doce, charmoso, não há nenhum

Que se iguale a não ser ela...
Não há perfume melhor do dela.
Não há mulher mais bela...

Eu não durmo, pois ela,
Não está ao meu lado, quem dera...
Minha vontade é de pular a janela.


II

Sinto cachorros uivarem.
Ouço a luz da tela do computador.
Vejo meus sonhos me matarem...
Esse é o gosto doce do amor.

Já vai dar três da manhã...
E mesmo assim ela não se torna sã.
Ela me tortura em pensamento.
Ela controla meu batimento.

Poderia ter coração de plástico.
Poderia ser menos sarcástico.
Por quê ela não me deixa dormir?
Omar Namur

Ela será amada

A única coisa que ouço é a chuva cair.
A única que vejo é o som ao bater no chão...
Fecho os olhos e encontro o seu olhar...
Abro-os e sinto sua presença partir...

Respiro e logo sinto seu perfume.
Se fico mudo, ouço apenas uma voz...
Quanto mais a tenho, mais eu me vicio.
Quanto mais eu vivo sem ela, mais eu morro.

No frio sinto calor.
Ao invés de sonhos tenho pesadelos.
Quero ganhar mas sempre perco...

Veja nada se move.
Veja o sol foi embora.
Veja. Está tudo morto.



Nada realmente não importa. Até por um dia, se o dia for perfeito, ele acaba. Graças a Deus só temos 24 horas como dia, pois para quê mais de sofrimento? Têm dias em que quando tudo parece estar correndo bem, acontece algo e mostra o contrário. Começo a achar que o amor é uma pedra no sapado, uma pedra no caminho, ser algo que nos ilude quase todas às vezes, que nos mantêm prisioneiros de algo que não vemos, apenas sentimos.


- Omar