Pesquisar este blog

domingo, 4 de janeiro de 2009

Silêncio

Tem horas que eu desejo que tudo se cale.
Para todo e qualquer lugar, sempre há barulho.
Não importa quantas montanhas eu escale,
Em nenhuma eu encontrarei meu perfeito marulho.

Há dias em que nada está a nosso favor...
Há dias em que o nada já é o bastante.
E acabamos caindo e cedendo ao torpor...
Não tendo opção sequer para ver o adiante.

Há vezes em que a rima,
Não enriquece a poesia.
O silêncio então a subestima.

Depreciando-a da noite para o dia.
O silêncio é o amor sem fim,
E ao mesmo tempo, o ódio em mim.


O silêncio em si, depende da situação em que se esteja. Mas há dias em que tudo o que queremos é pelo menos uma hora de puro silêncio, para podermos nos situar onde estamos e quem somos. Há situações em que a última coisa que gostaríamos de ter seria o silêncio. Há coisas que não combinam muito bem... Silêncio e amor, Silêncio e respostas... E como sempre existe o contrário, Silêncio e paz, Silêncio para se poder pensar; Silêncio e melancolia... Para mim só há dois silêncios: 1º Fique em silêncio para poder pensar, botar a cabeça no lugar, resolver um problema, coisas do tipo. 2º O meu silêncio quando estou com ela, pois estar com o quê se quer, precisa de algum tempo para se poder acreditar.


Omaruman