Pesquisar este blog

sábado, 31 de maio de 2008

Retrocesso

Tentar pôr os pés no chão é o que procuro
Depois de ter me perdido no escuro,
Quando chega a luz,
Não há mais força que me conduz.

Acho que já sei aonde foi o meu erro...
Agora devo ir ao seu enterro,
Pois esta coisa deve estar morta.
Não a quero ver mais na minha porta.

Vejo nessa noite que não haverá luar...
A lua está separada do mar...
O que irá fazer ela sem sequer seu reflexo?

Tal coisa me deixa perplexo.
Sinto-me incapaz
De sequer encontrar minha paz.



Omar Namur De Ávila Baldo

Aquela Noite

Cansei de ser quem sou...
Viver essa vida que é entediante.
Tentar reviver o que já passou...
Penso em mudar a todo instante...

Depois daquela noite, a minha vida mudou!
Passou a ser alegre ao invés de irritante.
A ser animada... E pela primeira vez meu coração pulsou;
Não sei o que seria de mim sem aquela noite...

Hoje acordei e vi... Foi-te embora...
Numa noite fria e sombria... –Sem luar-
Eu vi, sorri e pensei: “Talvez não seja a hora”.

Me vejo no reflexo do mar...
O que vejo parece magia...
Mas não! O que vejo é o desejo de minha poesia!


Omar Namur De Ávila Baldo